logo-3

Remédios caseiros e alopáticos para cães

Share

Como cuidar de um cão doente e torná-lo um cão saudável

Não importa a doença, você fará de tudo para acelerar a recuperação de seu cão. Há muita coisa que você pode fazer em casa. Nem sempre é necessário levar seu cão ao veterinário quando ele estiver abatido. Como cuidar de um cão doente 
Sempre que seu cão precisar de tratamento, sua recuperação será mais rápida se ele receber muito cuidado e carinho. Depende de você garantir que ele tenha descanso, coma direito, tome todos os remédios e não se agite muito.
Esse artigo indica que somente um médico veterinário poderá auxiliar, prescrever e orientar no tratamento de seu animal de estimação, não orientamos medicamentos para o seu pet, deve ir presencialmente ao médico veterinário de sua confiança.

Prepare uma cama confortável para ele em uma área sossegada. Pode ser em um dormitório, na lavanderia ou num banheiro pouco usado. Se você tiver crianças em casa, não deixe que elas aborreçam muito o cão. Elas podem ir vê-lo, uma de cada vez, durante alguns minutos a cada dia, mas sem brigas ou sons altos até que o cão melhore.

Sirva um alimento aquecido  ou chame a atenção dele com algo que cheire bem, como caldo de frango, de carne ou ovos mexidos, o que fará com que melhore o apetite do cão. Assegure-se de consultar o veterinário antes de complementar sua dieta, para assegurar que não esteja oferecendo nada que não deva. O cão também precisará de muita água fresca. Disponibilize para ele água suficiente.

Siga estritamente as instruções do veterinário quando ele começar a se exercitar. Se seu cão estiver se recuperando de uma cirurgia, especialmente de osso fraturado, é importante que ele não se exceda. É difícil manter um bom cão quieto, mas se você quiser que ele se recupere de maneira apropriada, você terá que ser firme.

Finalmente, mesmo que ele pareça estar bem, não pare de dar todos os remédios prescritos, pelo tempo determinado pelo veterinário.

Antes que você leve seu cão para casa, peça ao veterinário ou a um técnico para mostrar como dar o remédio de maneira apropriada.

Ministrando remédios para cães

Se você já for dono de um cão há algum tempo, sabe o que fazer quando ele engolir o remédio, pois nem sempre é fácil. São poucos os cães que tomam remédios de boa vontade, de modo que aqui vão algumas dicas úteis para dar remédios para seu cão em casa.

Pílulas - se você tiver sorte, seu cão pode ser um desses que tomam pílulas sem qualquer objeção. Para outros, pode ser mais fácil que outra pessoa imobilize o cão enquanto você dá o remédio a ele. Entretanto, com prática, a maioria dos donos pode aperfeiçoar a técnica o suficiente para dar pílulas a ele sem precisar de ajuda.

Assegure-se de que você tenha a pílula pronta antes de começar. Segure firmemente a cabeça do cão com uma mão ou, se ele for pequeno, prenda-o firmemente entre seus joelhos enquanto se ajoelha no chão. Se você estiver tratando de um filhote ou cão de raça pequena, pode ser mais fácil enrolá-lo em uma toalha de modo a imobilizá-lo ou colocá-lo em uma mesa ou balcão.

Usando os dedos indicador e médio, abra suavemente a boca do cão e coloque a pílula o mais fundo que puder. Feche a boca do cão e levante sua garganta para que a pílula desça.

Outra maneira de dar pílulas é inclinar a cabeça do cão com a uma das mãos. Com a outra mão, segure a pílula entre o polegar e o indicador e use o dedo médio para abrir a boca. Coloque a pílula no fundo da boca e use o indicador para empurrar a pílula pela língua. Para forçá-lo a engolir, mantenha sua boca fechada e esfregue ou assopre em seu nariz.

Se tudo isso falhar, disfarce a pílula, enfiando-a em algo macio e gostoso. A menos que o cão seja realmente esperto ou cauteloso quanto ao que põe na boca, a pílula será engolida sem que ele perceba. Como alguns remédios que precisam ser dados com o estômago vazio, que interagem com certos alimentos ou não devem ser mastigados por engano, pergunte ao veterinário se está certo dar a pílula dessa maneira.

Medicamentos líquidos - mais uma vez, deixe o remédio pronto: se necessário, agite o frasco, meça a dose e encha o dosador. Pegue o cão. Segure-o da mesma maneira que você faria para dar pílulas. Mantendo a cabeça inclinada para cima, abra a boca do cão e com o conta-gotas dentro da boca, mantenha ela fechada e goteje o medicamento. Ele engolirá automaticamente quando o líquido alcançar a parte de trás da boca. Assegure-se de que ele tenha engolido antes de soltar sua boca. Somente para ter certeza, esfregue ou assopre o nariz.

Medicamentos para o ouvido - observe bem o cão. Segure suas orelhas de maneira suave, mas firme e incline ligeiramente a cabeça para o lado oposto. Pingue a dosagem correta na orelha e dobre a orelha suavemente para baixo ou junte-as e esfregue a cartilagem na base da orelha para que o medicamento escorra pelo canal auditivo. Isso também ajuda a manter a maior parte do medicamento na orelha do cão se ele chacoalhar a cabeça depois disso.

chihuahuaColírios - tenha tudo pronto e meça a dosagem apropriada. Imobilize o cão de maneira suave, mas firme. É especialmente importante manter sua cabeça imobilizada de modo que o medicamento atinja o olho. Segure o conta-gotas com uma das mãos, incline a cabeça do cão e aponte as gotas para a parte interna do olho, diretamente no globo ocular. Não encoste a ponta do conta-gotas no olho. Para garantir que o medicamento seja distribuído de maneira uniforme pelo olho, feche e abra as pálpebras.

Ungüentos - algumas vezes, são prescritos ungüentos para olhos e ouvidos. Para aplicar o ungüento nos olhos, segure firmemente a cabeça do cão e abra suavemente a pálpebra inferior, expondo a parte interna da pálpebra. Coloque o ungüento dentro da pálpebra inferior. Tome cuidado para não administrar diretamente no globo ocular. Você também pode puxar a pálpebra superior para trás e colocar o ungüento na córnea do olho. Para garantir que o medicamento seja distribuído de maneira uniforme pelo olho, feche e abra as pálpebras do cão. Para aplicar ungüento em orelhas, siga as mesmas instruções que para medicamentos para os ouvidos.

Mostramos os principais tópicos quanto aos cuidados com seu cão em casa, incluindo remédios para a maioria das doenças caninas

Vermes

Cães pode ser afetados por vários tipos de vermes e parasitas similares. Nesta seção, explicaremos em detalhes, os tipos mais comuns.

Coccidiose

 Não é realmente um verme, mas um organismo microscópico unicelular. Este parasita não é muito comum em cães, mas pode atacar filhotinhos, particularmente quando em condições de higiene precária. A doença é transmitida através de água ou alimento contaminado. As fêmeas de coccídeos põem ovos no trato intestinal dos cães, que são levados para o ambiente nas fezes. Os coccídeos podem permanecer dormentes, não provocando sintomas, mas podem ser ativados por algum tipo de tensão. Assim que entram em ação, esses protozoários provocam diarréia, fraqueza, falta de apetite, anemia e desidratação. Provavelmente, seu veterinário tratará a coccídeos com drogas à base de sulfa e antibióticos. Boas condições de higiene são importantes para a contenção e prevenção da coccidiose. Recolha as fezes imediatamente, assegurando que não haja oportunidade para que a água ou os alimentos sejam contaminados por ela. Se for diagnosticada a presença de coccídeos em seu cão, é necessária uma limpeza completa da área em que ele vive, usando desinfetantes fortes ou água fervente.GiárdiaEste é outro parasita e pode afetar cães e seres humanos. Freqüentemente, esse protozoário é transmitido pela água contaminada. Os sinais de infecção por giárdia são diarréia (que pode ser sanguinolenta ou viscosa) e, algumas vezes, distúrbios brandos no estômago. Seu veterinário tratará a giárdia com drogas antiprotozoários. Proteja seu cão não deixando que ele beba água de nascentes, rios ou lagos, não importa o quão limpa possa parecer.

Filarídeos

 Antigamente, restritos a áreas mais quentes e úmidas e relacionadoa a cães que passam muito tempo em florestas, atualmente os filarídeos estão em todos os locais do país.O ciclo de vida dos filarídeos, Dirofilaria immitis, começa com uma picada de mosquito que transmite a larva do filarídeo. A larva penetra na pele, passando por diversos estágios de desenvolvimento e, eventualmente, percorre a corrente sanguínea até o hemisfério direito do coração. Lá eles permanecem e se transformam em vermes maduros. Se não detectada, a população de vermes adultos pode crescer, criando uma massa que bloqueia o fluxo de sangue, reduz a eficiência do coração e, eventualmente, provoca falha no coração.Quando os vermes adultos se reproduzem, geram microfilárias. São os descendentes que entram na circulação sanguínea e são pequenos o suficiente para serem sugados por um mosquito que pique o cão infectado. De 10 e 48 dias, a microfilária se desenvolve como larva infecciosa. Na próxima vez que o mosquito picar um cão, essa larva de filarídeo é passada adiante e reinicia o ciclo.Os cães infestados com filarídeos podem passar anos sem apresentar sintomas. Eventualmente, quando esses vermes começam a causar problemas para o cão, um dos primeiros sinais é uma tosse profunda e baixa que piora com exercícios. À medida que o ciclo progride, o cão fica letárgico, perde peso e, algumas vezes, tosse sangue. Nos últimos estágios da filariose, o cão tem problemas para respirar, seu tórax fica abaulado e desenvolve falha cardíaca congestiva. Sem tratamento, ele morrerá.Felizmente, um teste de sangue rotineiro pode detectar a filariose antes mesmo que apareçam os sinais. E a filariose pode ser facilmente prevenida. Todos os cães devem ser examinados quanto à filariose (seu veterinário pode informá-lo quando e qual a freqüência). Para a maioria dos cães, o teste será negativo, mas mesmo assim o veterinário pode receitar um remédio preventivo contra filarídeos.

O dietilcarbamazine (DEC, que é vendido com nomes de marcas como Filaribits) mata a larva infecciosa . Ele deve ser administrado diariamente durante a estação de mosquitos, para garantir que nenhuma larva sobreviva e se transforme em vermes adultos.

Se for diagnosticada filariose em seu cão, o tratamento depende do estágio em que está a doença. Se ocorrer falha cardíaca ou do fígado ou danos aos rins, esses problemas devem ser tratados em primeiro lugar.

O tratamento no caso de filariose totalmente desenvolvida é muito estressante e o cão deve estar nas melhores condições possíveis, para que sobreviva. Os cuidados de acompanhamento também são importantes. Cerca de seis semanas após o tratamento inicial, o cão em recuperação recebe outro medicamento para matar as microfilárias geradas por vermes adultos. Uma amostra de sangue é examinada para assegurar que todas as microfilárias desapareceram. Se ainda der positivo, é ministrado tratamento adicional até que o cão esteja totalmente livre desses vermes.

Ancilóstomo

 Ancilóstomos são encontrados com mais freqüência em áreas quentes e úmidas do campo, mas também pode aparecer em outros lugares. Esses vermes, dos quais o mais comum é conhecido como Ancylostoma caninum, geralmente afetam mais os filhotes. Normalmente, eles são transmitidos pelo leite da mãe ou até mesmo pela pele e fixam residência no intestino delgado do filhote. Assim que chegam à barriga do cão, eles se fixam à parede do intestino, sugando tecido e sangue. Isso provoca um dos clássicos sintomas da infestação por ancilóstomo: fezes escuras ou sanguinolentas. Em casos sérios de ancilostomíase, os cães sofrem de anemia severa.Igual a outros vermes intestinais, os ancilóstomos são diagnosticados num exame de amostra de fezes sob um microscópio. Se forem encontrados ovos de ancilóstomos, provavelmente seu veterinário prescreverá medicação para matar os vermes adultos. Em áreas do país em que os ancilóstomos são muito comuns, um cão saudável com uma infestação branda pode não ser tratado, já que provavelmente ele será reinfestado logo a seguir. A melhor prevenção contra ancilóstomos é cuidar bem de seu cão. Quanto mais tempo fezes infestadas ficarem sem ser colhidas, maior a probabilidade de qualquer ovo de ancilóstomo se transformar em larva e seguir o caminho até a pele do seu cão.

Ascarídeos

 Os ascarídeos (Toxocara canis) são comuns em cães, especialmente em filhotes. Os ovos de ascarídeos são encontrados no solo, onde podem sobreviver por anos. O cão aspira os ovos ao farejar os arredores no solo ou pegando algo com a boca. Os ovos são chocados como larvas, penetram na corrente sanguínea até os pulmões e daí até a traquéia, de onde são aspirados novamente, voltando para o intestino e se transformando em vermes adultos. As larvas de ascarídeos também podem ser transmitidas da mãe para os filhotes pela placenta (na realidade, os filhotes já nascem com ascarídeos) ou através do leite da mãe.Cães adultos podem ter ascarídeos sem apresentar sintomas. Mas filhotes já infestados podem vomitar, ter diarréia e perder peso. Eles ficam com uma perceptível barriga arredondada (maior do que a usual "barriga de filhote"), a pelagem fica sem brilho e eles não crescem como os demais filhotes. Um cão pode transmitir alguns vermes nas fezes. Esses vermes se parecem com filamentos de macarrão parafuso.Criadores e vendedores responsáveis examinam seus cães e filhotes à procura de ascarídeos e outros parasitas e ministram a medicação para acabar com os hóspedes indesejados. Como qualquer outro tipo de verme, uma boa higiene é importante para a prevenção.

Solitária

 As pulgas são os vetores mais comuns das solitárias, ainda que estas também possam ser transmitidas através de pequenos roedores ou carne crua. Por isso, nunca alimente seu cão com carne crua ou mal cozida ou restos de animais. Se seu cão tiver recebido tratamento contra pulgas, há uma boa chance de que ele também tenha solitárias. A cabeça, ou ganchos da solitária (a mais comum em cães é chamada de Dipylidium caninum) se prende ao intestino e começa a produzir uma série de segmentos chatos cheios de ovos, o que faz com que um único verme possa ter entre alguns centímetros e vários metros. A forma mais comum de diagnosticar a solitária é descobrir esses segmentos, que se parecem com grãos de arroz, nas fezes, presos no pêlo ao redor do ânus dos cães.Como os ovos são expelidos em segmentos, um exame de fezes pode facilmente falhar em diagnosticar uma infestação por solitária. É sua responsabilidade ficar de olho nos próprios segmentos e em outros possíveis sintomas, para informar ao veterinário. Observe também se o cão apresenta problemas digestivos e se fica arrastando o traseiro pelo chão, o que pode ser uma resposta à irritação provocada pelas solitárias, mas também pode ser um sinal de glândula anal afetada. O veterinário pode remediar essa situação facilmente, com medicamentos apropriados. Assim que se detecta a solitária (ou se suspeita), o tratamento é simples e efetivo.

Tricurídeo

Os tricurídeos (Trichuris vulpes) são assim chamados porque o perfil sugere um pequeno chicote. Os cães são infestados com ovos de tricurídeos no ambiente em que vivem. Seus ovos são chocados no trato intestinal, onde os vermes se prendem às paredes do intestino grosso e começam a produzir ovos continuamente. Uma infestação severa pode causar diarréia, anemia ou perda de peso.

O tratamento é feito com medicação simples, normalmente com doses repetidas para atingir quaisquer vermes que tenham se prendido recentemente, antes que possam infestar o cão novamente. Como os ovos são expelidos nas fezes do cão infectado, a prevenção é uma simples questão de bom senso: mantenha seu cão afastado das fezes de outros cães e recolha as fezes do seu cão imediatamente. Exames fecais regulares (duas vezes por ano é suficiente) detectarão muito facilmente um caso de vermes.

Cães afetados por espinhos de ouriço

Você pode achar que um focinho cheio de espinhos é o suficiente para fazer com que muitos cães contenham a curiosidade, mas alguns cães nunca aprendem. Se seu cão aparecer cheio de espinhos, leve-o ao veterinário. Mas se tiver apenas alguns, você mesmo pode tentar removê-los.O que fazerColoque um par de luvas de borracha, pegue um alicate de ponta, uma boa dose de coragem e um auxiliar forte para ajudar a conter o cão. O procedimento não é nada agradável e não existe meio-termo. Simplesmente prenda cada espinho perto do ponto em que se cravou na pele e puxe direto. Evite quebrar os espinhos; a remoção ficará mais difícil e qualquer pedaço de espinho que permanecer no focinho pode dar início a uma infecção. Assim que tiver removido os espinhos do focinho do cão, aplique um anti-séptico tópico na área afetada.Quando ir ao veterinárioSe você não tiver confiança para puxar os espinhos, leve o animal ao veterinário. Se o cão estiver com muitos espinhos ou se estiverem fincados profundamente ou em locais dolorosos (dentro da boca, por exemplo) é provável que seja necessário sedá-lo ou até mesmo anestesiá-lo.
 Remédios para cães­
  
Há muita coisa que você pode fazer pelo seu cão com os primeiros socorros caseiros. Não queira rivalizar com o veterinário em experiência - e nem tente. Algumas vezes, um cão doente precisa ir ao veterinário. Mas, um conhecimento amplo das doenças de cães e seus sintomas mais comuns tornará você um melhor dono de cão e pode significar uma vida mais longa e feliz para seu cachorro. Neste artigo, veremos vários tópicos relativos a cuidados com cães.

Cães com ferimento nas patas

Depois de um longo dia andando, seus pés doem. Acredite, cães também machucam os pés, especialmente cães que adoram correr e brincar. Apesar das patas serem resistentes, elas são suscetíveis a arranhões, queimaduras e muito mais. Cães com queimaduras solares 
Se o seu cão gosta de se expor ao sol, você precisa se assegurar de que ele não tome sol em excesso. Cães são suscetíveis à queimadura solar, especialmente em áreas de pele mais fina, como as pontas das orelhas ou a extremidade do septo nasal. Cães com pelagem branca ou clara, são bastante propensos a queimaduras solares.

Um cão com queimaduras mostra sinais de pele avermelhada, que descasca e empola. O resultado é uma pele dolorida. Da mesma forma que em pessoas, a exposição excessiva ao sol também pode causar câncer de pele em cães.

O que fazer

Proteja seu cão, limitando o tempo que ele fica exposto ao sol, usando óxido de zinco ao redor do focinho ou aplicando protetor solar (não deixe ele lamber o protetor). Há protetores solares para cães, disponíveis em lojas de animais.

Para reduzir a dor de queimaduras solares, umedeça a área afetada com um frasco d'água. A água fria aliviará o desconforto. Compressas frias são outra forma de aliviar a dor. Umedeça uma toalha pequena e a coloque sobre a área afetada. Molhe a toalha quando ela começar a ficar morna.

Quando ir ao veterinário

Normalmente, uma queimadura solar não exige uma consulta com o veterinário. Entretanto, se a pele estiver com fissuras ou o cão sentir muita dor, é aconselhável.


Cães com queimaduras solares

Até os cães estão sujeitos a queimaduras solares, especialmente aqueles com pelagem curta que ficam ao sol com o abdômen exposto. Nós simplesmente aplicamos uma camada de protetor solar para nos protegermos do sol e o mesmo pode ser feito com cães. Mas assegure-se de que ele não lamba a loção. Há maneiras de remediar queimaduras solares em cães e de impedir que ocorram enfermidades. Cães com ferimentos nas patas
As solas das patas dos cães são firmes e grossas, já que por natureza, foram projetadas para resistir a superfícies ásperas. Mas, ainda assim, são suscetíveis a ferimentos, queimaduras e arranhões. Solas de patas doloridas são um efeito de um longo dia de caminhada ou de andar em ruas aquecidas pelo sol.

O que fazer

Se as patas de seu cão ficarem sensíveis, você pode aliviar um pouco com uma camada espessa de pasta de resina de pinho e de argila. Aplique a mistura na área afetada, para aliviar e curar. Após um passeio ao ar livre, examine sempre as patas de seu cão, à procura de cortes e arranhões. Se seu cão tiver corrido por uma área enlameada, lave suas patas com água e sabão e seque-as bem.

Quando ir ao veterinário

Normalmente, patas doloridas não precisam de uma consulta com o veterinário, a menos que você perceba que seu cão esteja mancando ou que tenha uma ferida na pata.

Kit doméstico para primeiros socorros veterinários

Kits de primeiros socorros estão disponíveis em lojas e também podem ser pedidos através de catalógos. Você também pode montar um você mesmo, com itens que tenha em casa. Deixe o kit onde possa ser facilmente encontrado e inclua o cartão de visita do veterinário, junto com o número de telefone e instruções para se chegar à clínica veterinária mais próxima. Examine o kit de vez em quando para garantir que todos os suprimentos estejam em ordem e que tudo esteja dento do prazo de validade. Os seguintes itens compõem um kit básico de primeiros socorros:

  1. carvão ativado (disponível em farmácias) par absorver venenos; 
  2. esparadrapo para prender bandagens; 
  3. ungüento ou pó antibacteriano para limpeza de ferimentos; 
  4. agente antidiarréico (pergunte a dose apropriada para controlar a diarréia de seu cão); 
  5. tesoura de ponta redonda para tosar pêlo de ferimentos e cortar as bandagens; 
  6. bolas e hastes de algodão; 
  7. compressas e rolos de gaze para bandagens; 
  8. água oxigenada (a 3%) para limpeza de ferimentos; 
  9. laxante ou antiácido; 
  10. geléia lubrificante ou de parafina para lubrificar o termômetro; 
  11. seringas sem agulha para ministrar medicações líquidas; 
  12. talas de gesso para membros fraturados; 
  13. conta-gotas plástico para administrar medicações líquidas ou colírios; 
  14. termômetro; 
  15. álcool; 
  16. xarope de ipecacuanha para induzir o vômito; 
  17. pinças; 
  18. alicate de ponta fina para remover espinhos de ouriço ou outros itens presos na boca ou na garganta; 
  19. guardanapos higiênicos para ajudar a estancar sangramentos; 
  20. toalhas.

Esse artigo indica que somente um médico veterinário poderá auxiliar, prescrever e orientar no tratamento de seu animal de estimação, não orientamos medicamentos para o seu pet, não faça comentários pedindo orientação, deve ir presencialmente ao médico veterinário de sua confiança.


GERAL  F:55 011 4684 1047 hc
Juquitiba São Paulo Brasil

"A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados."  (Mahatma Gandhi)

Localização: EcoVilla Amichetti- Paraíso Ecológico- uma forma sustentável de ConViver.

Rod. Régis Bittencourt, km 334, apenas 40 min. de SP-Juquitiba .

Agende uma agradável visita para adquirir seu filhote e faça belo passeio no santuário ecológico com a  Mata Atlântica  preservada.

Missão do Petclube Amichetti:

O Petclube é um site dedicado a preservar a integridade de suas informaçoes, promovendo a divulgação de cães como um companheiro da família, saudáveis e proteger os direitos de todos: proprietários, criadores e animais de estimação, promovendo a posse responsável.O petclube é o melhor site que vende cães buldoge e gatos gigantes com anúncios de compra e venda de filhotes de cachorros, gatinhos e produtos linha pet shop para todo Brasil, com uma grande relação de ofertas de produtos para cães, gatos, de interesse para criadores, compradores e vendedores.

Neste site podem ser encontrados(as) cachorrinho e gatinho com preços, fotos, disponibilidade, cidade, estado de localização e outros. Muitas pessoas usam o Petclube para pesquisar preços de raças de cães e gatos para conseguir fazer melhores negócios, adquirindo produtos melhores, linhagens superiores e mais baratos. Essas pessoas procuram normalmente na internet onde encontrar cão e gato a venda barato. Se um dia você pensar, "quero vender" ou "quero comprar filhotes de cães e gatos, acesse sempre o portal petclube, onde a comercialização ocorre entre os próprios negociantes e onde você pode encontrar muitas informações da cinofilia e gatofilia, assim como as melhores notícias e artigos sobre cães. gatos, aves, peixes, répteis, roedores no Brasil.

Comentários   

 
0 #5 cristina 29-12-2012 01:11
legal foi muito bom essas explicações quando ñ se tem vet na cidade a gente se vira ate ir ao vet ;gostei muito me ajudou bastante
Citar
 
 
+2 #4 katia 29-04-2012 14:35
:lol: muito bom as explicaçoes obrigado me ajudou bastante tenho um filhote e me ajudou
Citar
 
 
-2 #3 kelly 07-01-2012 01:53
oiie
Citar
 
 
+2 #2 Guest 31-07-2011 18:17
;-) :sigh: :sigh: meu cachorinho se chama pingo e tem um ano e pouco ele vivia preso na coleira mas a algus meses a traz a correte arebento e como o meu portao nao tinha as grades bem juntinhas ele fugia para rua e so voltava horas depois bem essa semana ele passou muito mal ele ta apatido magro tem diareia ele ja desmaio come pouco e dorme muito dr o que eu faço
Citar
 
 
+5 #1 Guest 28-07-2011 01:48
olá..minha cadela teve 3 abortos e agora nao para de sangrar e tremer..e ta bem fraca ..oq devo fazer..existe remedio caseiro para isso?
aguardo resposta.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar