logo-3

Doenças parasitárias Cães e Gatos

Share


Doenças parasitárias
 

Amebíase 
--------------------------------------------------------------------------------
A amebíase é uma doença de baixa freqüência em cães e gatos, sendo rara nas outras espécies de mamíferos. Causada pelo protozoário Entamoeba histolytica, provoca uma diarréia ou disenteria intermitente. Possui uma importância maior em humanos, onde é mais comum.


Ancilostomíase 
--------------------------------------------------------------------------------
A Ancilostomíase é uma parasitose intestinal de pequenos animais, causada por vermes nematódeos hematófagos do gênero Ancylostoma spp. Em cães, o A. caninum é o mais comum, enquanto que em gatos é o A. tubaeforme. O animal pode ser infectado através da ingestão da larva ou ovo, pela penetração da larva na pele, ou através da transmissão da larva da mãe para o feto, no útero. Os animais parasitados, principalmente filhotes, apresentam uma severa anemia, diarréia com fezes escuras, fraqueza e pelagem sem brilho. Animais adultos podem não apresentar sintoma algum.


Ascariase 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Ascaridíase.


Ascaridíase 
--------------------------------------------------------------------------------
São vermes nematódeos intestinais. Em cães e gatos, as ascaridíases mais freqüentes são as causadas pelo Toxocara canis, Toxascaris leonina e Toxocara cati (esse somente em gatos). Podem causar sintomas variados, como pneumonia, diarréia, oclusão intestinal, crescimento retardado, dentre outras. Em grandes infestações, pode ocorrer vômito com presença do verme. Em eqüinos, de ascarídeos, temos o Parascaris equorum.


Babesiose 
--------------------------------------------------------------------------------
Em cães, a babesiose (piroplasmose) é causada pela Babesia canis, um protozoário transmitido pela picada do carrapato (principalmente o Rhipicephalus sanguineus, em cães). O animal parasitado desenvolve uma anemia severa, hemoglobinúria (urina escura), mucosas amareladas, febre e fadiga. O combate ao carrapato é fundamental para a prevenção da babesiose. Veja o resumo de Nutaliose para informações sobre a babesiose em eqüinos.


Berne (Dermatobiose) 
--------------------------------------------------------------------------------
O berne é a larva da mosca Dermatobia hominis, responsável pela miíase furuncular ou dermatobiose. Há a presença de nódulos sob a pele do animal, contendo uma ou mais larvas no interior desses. A penetração larval na pele provoca dor e inflamação local, com gradativa formação de pus.


Bicheira (Miíase) 
--------------------------------------------------------------------------------
A bicheira ocorre quando há deposição de ovos e conseqüente infestação de larvas da mosca Cochliomyia hominivorax em qualquer tipo de ferida fresca. As larvas alimentam-se do tecido subcutâneo do animal afetado, aumentando gradativamente a ferida, o que atrai continuamente mais moscas, de forma a agravar o quadro.


Carrapatos 
--------------------------------------------------------------------------------
Os carrapatos, além de causarem anemia (em grandes infestações) e reações alérgicas, podem agir como transmissores de certas doenças. O carrapato de maior incidência em cães é o Rhipicephalus sanguineus, responsável pela transmissão da babesiose e erlichiose. Em eqüinos, destacam-se o Amblyomma cajennensis e o Anocentor nitens (carrapato da orelha), ambos transmissores da babesiose eqüina (nutaliose).


Cestódeos 
--------------------------------------------------------------------------------
Os cestódeos (tênias, solitárias) são vermes alongados e em forma de fita.


Demodicose 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Sarna Demodécica, na seção PELE E ANEXOS.


Dictiocaulose 
--------------------------------------------------------------------------------
O Dictyocaulus arnfieldi é um verme nematódeo que parasita os pulmões de eqüinos, podendo causar bronquite.


Dipilidiose 
--------------------------------------------------------------------------------
A Dipilidiose é uma parasitose de cães e gatos, causada pelo verme cestódeo Dipylidium caninum, de coloração esbranquiçada, do tamanho médio de um grão de arroz. Os animais parasitados sofrem de diarréia, emagrecem e perdem pêlos. Há coceira na região anal, razão pela qual o indivíduo infectado arrasta o traseiro sobre o chão. O contágio se dá através da ingestão de pulgas infectadas pelo verme. Sendo assim, para eliminação completa do Dipylidium, de pouco adianta vermifugar o animal se o mesmo continua tendo contato com pulgas. Trata-se de uma zoonose.


Dirofilariose 
--------------------------------------------------------------------------------
A Dirofilariose é uma doença cardíaca de cães, causada por um verme (Dirofilaria immitis) que se aloja no ventrículo direito e nas artérias pulmonares. Sua transmissão se dá através da picada de um mosquito, que adquire o verme ao sugar o sangue de um animal infectado. Em casos avançados, quando o tratamento torna-se difícil, o cão passa a apresentar cansaço, dificuldade respiratória, tosse crônica, perda de peso e ascite (barriga dágua). O animal pode vir a morrer em casos graves. É uma doença de prevalência maior em regiões litorâneas.


Ectoparasitismo 
--------------------------------------------------------------------------------
Afecção causada por parasitas que acometem o animal externamente, normalmente artrópodes, como ácaros (causadores de sarnas), piolhos, moscas hematófagas (sugadoras de sangue) e carrapatos.


Endoparasitismo 
--------------------------------------------------------------------------------
O endoparasitismo pode significar qualquer afecção causada por vermes, sejam esses nematódeos (vermes redondos - gastrintestinais ou pulmonares), cestódeos (vermes chatos - tênias) ou trematódeos (vermes em forma de folha - fascíolas).


Erlichiose 
--------------------------------------------------------------------------------
A erlichiose é uma doença de cães causada por uma ricketsia, a Erlichia canis, transmitida pelo carrapato Rhipicephalus sanguineus. Os sinais clínicos são divididos em 3 fases: aguda, subclínica e crônica. Na fase aguda observa-se com mais freqüência febre, anorexia, fraqueza muscular e perda de peso. A fase subclínica normalmente é expressa sem sinais clínicos, podendo ocasionalmente ocorrer depressão, hemorragias, perda de apetite, dentre outros sinais. Na fase crônica, existente no caso de infecções persistentes, ocorrem de forma atenuada os mesmos sintomas da fase aguda e há o comprometimento do sistema imune, ficando o animal sujeito à infecções secundárias.


Escabiose 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Sarna Sarcóptica, na seção PELE E ANEXOS.


Esponja da Pele (Habronemose Cutânea) 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Habronemose Cutãnea.


Estrongiloidose 
--------------------------------------------------------------------------------
A estrongiloidose de eqüinos é causada pelo verme nematódeo Strongyloides westeri. Responsável por uma diarréia, parasita o intestino delgado, especialmente de recém-nascidos, infectados através da ingestão do leite contaminado ou pela penetração larval na pele.


Estrongilose 
--------------------------------------------------------------------------------
As estrongiloses, em eqüinos, compreendem as verminoses causadas por pequenos e grandes estrôngilos. Para maiores detalhes, veja resumos de Grandes Estrôngilos e Pequenos Estrôngilos.


Ferida de Verão (Habronemose Cutânea) 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Habronemose Cutânea.


Gasterofilose 
--------------------------------------------------------------------------------
A Gasterofilose é uma afecção parasitária causada por larvas da mosca Gasterophilus spp, a qual atinge o estômago do eqüino, causando gastrite.


Giardíase 
--------------------------------------------------------------------------------
A giardíase é zoonose causada por um protozoário, Giardia lambria. Em pequenos animais, atinge com maior freqüência cães, sobretudo nos mais jovens, que se infectam principalmente através da ingestão de água contaminada. O principal sintoma é a diarréia, de gravidade variável, onde as fezes apresentam-se amolecidas, com coloração esbranquiçada e odor forte.


Grandes Estrôngilos 
--------------------------------------------------------------------------------
Os grandes estrôngilos, sobretudo os do gênero Strongylus spp (S. vulgaris, S. edentatus, e S. equinus) são considerados os nematódeos mais importantes de eqüídeos. Irritam a parede do intestino delgado e de artérias intestinais, por fixarem-se às mesmas a fim de sugar o sangue do animal parasitado, podendo resultar, nas grandes infestações, em trombose da artéria mesentérica. Dessa forma, o eqüino passa a sofrer de diarréia, anemia, cólica, anorexia e fraqueza.


Habronemose Conjuntival 
--------------------------------------------------------------------------------
A exemplo da cutânea, a Habronemose conjuntival é provocada por larvas do nematóide Habronema muscae, depositadas na conjuntiva de eqüinos através de moscas. Normalmente atinge a terceira pálpebra, acometida por lesões granulomatosas e úlceras. O animal desenvolve então uma conjuntivite persistente, que não responde a tratamentos antibacterianos, caracterizada por um lacrimejamento constante.


Habronemose Cutânea (Ferida de Verão, Esponja da Pele) 
--------------------------------------------------------------------------------
Na habronemose cutânea, a larva do nematóide Habronema muscae atinge a pele de eqüinos por intermédio de moscas, provocando uma lesão granulomatosa popularmente conhecida como ferida de verão ou esponja da pele. Tais lesões desenvolvem-se rápido, podendo atingir em torno de 30 cm de diâmetro em poucos meses. No início, há coceira intensa, o que pode levar o animal ao auto traumatismo. Com o tempo, o tecido da lesão pode fibrosar.


Habronemose Eqüina 
--------------------------------------------------------------------------------
A Habronemose eqüina compreende as parasitoses causadas pelo verme Habronema spp, que, dependendo da forma de infecção e estágio de vida (adulto ou larval), irá determinar danos ao estômago (habronemose gástrica), pele (habronemose cutânea, ferida de verão, esponja da pele), conjuntiva (habronemose conjuntival) e, em menor importância, pulmões (habronemose pulmonar).


Habronemose Gástrica 
--------------------------------------------------------------------------------
As larvas de Habronema megastoma infectam os eqüinos, via oral, através de moscas que agem como hospedeiros intermediários. Tais larvas são deglutidas pelo animal e instalam-se na mucosa gástrica, determinando uma gastrite. Similarmente, o mesmo ocorre com larvas de Draschia spp, com a diferença de que essas podem provocar o surgimento de nódulos que eventualmente causarão obstrução estomacal.


Habronemose Pulmonar 
--------------------------------------------------------------------------------
Larvas de Habronema spp podem atingir pulmões, sobretudo de potros, facilitando assim o surgimento de abscessos locais. Normalmente, tal processo é assintomático, sem maior importância clínica.


Helmintoses 
--------------------------------------------------------------------------------
As helmintoses são causadas por 3 grupos de vermes: Nematódeos (vermes redondos - gastrintestinais e pulmonares), Cestódeos (vermes em forma de fita - tênias) e Trematódeos (vermes em forma de folha).


Hidatidose 
--------------------------------------------------------------------------------
A Hidatidose (Equinococose) é uma doença causada pela larva do verme Echinococcus granulosus, um cestódeo. Similarmente à cisticercose humana, há formação de cistos líquidos de localização tecidual variável, como cérebro, fígado e pulmões. Sendo assim, sua gravidade dependerá de onde esses cistos (chamados de cistos hidáticos) estiverem instalados, podendo ser fatal em alguns casos. O cão adquire a doença ao ingerir vísceras de ovelhas contaminadas. Trata-se de uma zoonose.


Insetos 
--------------------------------------------------------------------------------
Os insetos têm participação na origem de várias enfermidades infecciosas e parasitárias. Podem agir como vetores, onde há o desenvolvimento de alguma fase do ciclo evolutivo do agente infeccioso, ou então como transportadores do microrganismo, caracterizando a transmissão do tipo mecânica. Além de doenças, podem causar outros incômodos, como irritação, reações alérgicas devido picadas, e perda de sangue no caso de insetos sugadores.


Larvas 
--------------------------------------------------------------------------------
Das afecções parasitárias causadas por larvas, bernes (dermatobiose) e bicheiras (miíase) configuram como as de maior importância. Para maiores detalhes, veja resumos de Berne (Dermatobiose) e Bicheira (Miíase).


Lombrigas 
--------------------------------------------------------------------------------
Lombriga é o nome popular para denominar os vermes intestinais ascarídeos. Para maiores informações, veja resumo em Ascaridíase.


Moscas 
--------------------------------------------------------------------------------
Como as moscas são transmissoras de inúmeras doenças, é fundamental que se mantenha a higiene do ambiente onde os animais vivem, evitando a exposição de matéria orgânica, principalmente fezes.


Nambiuvu (Piroplasmose, Babesiose) 
--------------------------------------------------------------------------------
Nambiuvu é a forma pela qual a babesiose canina também é denominada. Para maiores detalhes veja resumo em Babesiose.


Nematódeos Gastrointestinais 
--------------------------------------------------------------------------------
Dos nematódeos (vermes redondos) gastrintestinais de maior importância, temos, de acordo com a espécie parasitada: CÃES: Toxocara canis, Toxascaris leonina, Uncinaria stenocephala, Ancylostoma caninum, Ancylostoma braziliense e Trichuris vulpis. GATOS: Toxocara cati, Toxascaris leonina, Ancylostoma tubaeforme, Ancylostoma braziliense e Uncinaria stenocephala. EQÜINOS: grandes e pequenos estrôngilos, Parascaris equorum, Habronema spp (no caso de habronemose gástrica), Strongyloides westeri, Trichostrongylus axei e Oxyuris equi.


Nematódeos Pulmonares 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Bronquite Verminótica, na seção SISTEMA RESPIRATÓRIO.


Nutaliose 
--------------------------------------------------------------------------------
A Nutaliose é uma doença de cavalos, causada pela Babesia caballi ou Babesia equi, protozoários transmitidos através do sangue, principalmente pela picada do carrapato. Também conhecida como piroplasmose ou babesiose eqüina, essa doença causa anemia e icterícia (amarelamento das mucosas), deixando o animal fraco. Em casos agudos, o eqüino tem febre alta. O animal portador de B. equi torna-se um portador crônico pelo resto da vida. A melhor medida para se combater essa enfermidade é o combate ao carrapato transmissor.


Oncocercose (Mal da Nuca, Mal da Cernelha) 
--------------------------------------------------------------------------------
A oncocercose é uma verminose cutânea causada, em eqüinos, pelo Onchocerca cervicalis, uma filária. Infesta o tendão flexor e o ligamento da nuca, por onde pode surgir uma fístula. Ocasionalmente, suas larvas podem ser encontradas no olho, causando uveíte, sendo também eventualmente responsáveis por casos de dermatite.


Oxiurose 
--------------------------------------------------------------------------------
Causada pelo Oxyuris equi, essa verminose tem como manifestação principal uma intensa irritação na região anal do eqüino, fazendo com que o mesmo, pelo incômodo, se esfregue contra a parede, e até mesmo morda essa região, no que poderá resultar em sérias esfoliações locais.


Parasitoses 
--------------------------------------------------------------------------------
Termo que define infestação por endo e/ou ectoparasitas.


Pequenos Estrôngilos 
--------------------------------------------------------------------------------
Os pequenos estrôngilos são vermes nematódeos que parasitam o intestino grosso e ceco de eqüídeos, de onde pode ocorrer o encistamento de larvas. São responsáveis pela ciatostomíase larval, que pode ser fatal, principalmente em potros novos. Os vermes adultos provocam um quadro entérico moderado com diarréia.


Piolhos 
--------------------------------------------------------------------------------
Os piolhos podem ser diferenciados em sugadores e mastigadores. Para maiores detalhes, veja resumos de Piolhos Mastigadores e Piolhos Sugadores.


Piolhos Mastigadores 
--------------------------------------------------------------------------------
Os piolhos mastigadores alimentam-se de fragmentos de pêlos ou pele do hospedeiro, o que ocasiona uma irritação da pele e coceira. Dessa forma, os animais muito infestados podem ficar abatidos, com falta de apetite, resultando em uma conseqüente perda de peso e maior susceptibilidade a doenças.


Piolhos Sugadores 
--------------------------------------------------------------------------------
Os piolhos sugadores alimentam-se do sangue do hospedeiro. Portanto, animais intensamente infestados podem desenvolver anemia, de grau variável conforme a carga de infestação. Além disso, também provocam irritação na pele e coceira, como os piolhos mastigadores.


Piroplasmose 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Babesiose.


Pulgas 
--------------------------------------------------------------------------------
As pulgas são insetos que atacam com bastante freqüência cães e gatos. Pela sua picada, causam incômodo, provocando coceiras que, dado a insistência, muitas vezes chegam a machucar a pele do animal. Em alguns animais são responsáveis também por um quadro alérgico, originando uma dermatite específica. Transmitem também uma série de doenças, dentre essas a dipilidiose. O controle envolve não somente a eliminação direta das pulgas presentes no cão e gato, mas também o extermínio dessas no ambiente, através do uso de inseticidas.


Teníase 
--------------------------------------------------------------------------------
Teníases são parasitoses causadas por vermes cestódeos (tênias). Em cães, os principais representantes são: Taenia hydatigena, T. pisiformis, T. ovis, T. multiceps, Echinococcus granulosus, Dipylidium caninum, Spirometra sp. Em gatos: Dipylidium caninum e Taenia taeniformis. Em cavalos: Anoplocephala magna e Anoplocephala perfoliata.


Toxoplasmose 
--------------------------------------------------------------------------------
A toxoplasmose é uma zoonose potencialmente fatal, causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, sendo o gato o principal reservatório desse. A infecção ocorre através da ingestão de fezes ou carne crua contendo o oocisto, ou pela via congênita (da mãe para o feto). Os cães podem sofrer sintomas de ordem respiratória, neuromuscular e gastrointestinal. Os gatos desenvolvem sintomas de gravidade variável no sistema pulmonar, hepático, ocular, pancreático e nervoso. A prevenção envolve medidas como evitar oferecer carne crua à gatos e limpeza diária das caixas de areia.


Trematódeos 
--------------------------------------------------------------------------------
Os trematódeos são os vermes chatos curtos e em forma de folha, como o Schistosoma mansoni (causador da esquistossomose) e a Fasciola hepática (verme causador da fasciolose).


Tricostrongilose 
--------------------------------------------------------------------------------
O verme nematódeo Trichostrongylus axei parasita o estômago e intestino delgado de eqüinos. É um verme pequeno e fino (capilar), responsável por gastrite catarral crônica e diarréia com fezes escurecidas, que leva o animal à uma perda de peso.


Tricuríase 
--------------------------------------------------------------------------------
A tricuríase é uma verminose de cães, causado pelo nematódeo Trichuris vulpis. Os animais intensamente parasitados desenvolvem perda de peso e diarréia, com as fezes ocasionalmente apresentando presença de sangue. Anemia pode acompanhar o quadro.


Tripanossomíase 
--------------------------------------------------------------------------------
As tripanossomíases são doenças causadas por protozoários do gênero Trypanossoma spp. No Brasil, temos o T. cruzi (responsável pela Doença de Chagas), T. evansi (causador da Surra), T. equinum (agente do Mal das Cadeiras), T. equiperdum (causador da Durina ou Sífilis Eqüina), e T. vivax (responsável pela Doença do Sono).


Verme do Coração 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Dirofilariose.


Vermes Chatos 
--------------------------------------------------------------------------------
Dos vermes chatos (platelmintos) temos os cestódeos, alongados e em forma de fita, e os trematódeos, curtos e em forma de folha. Para maiores informações veja resumos em Cestódeos e Trematódeos.


Vermes Gastrointestinais 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumos de Nematódeos Gastrointestinais e Cestódeos.


Vermes Oculares 
--------------------------------------------------------------------------------
Nematódeos do gênero Thelazia são responsáveis por uma verminose que se instala nos olhos do animal, através da deposição de suas larvas por moscas. Esses vermes instalam-se no canal lacrimal e no saco conjuntival, onde, além de causar irritação local, pode originar uma infecção bacteriana secundária. Se não tratada, é uma situação que pode resultar em cegueira do animal.


Vermes Pulmonares 
--------------------------------------------------------------------------------
Veja resumo em Dictiocaulose.


Vermes Redondos 
--------------------------------------------------------------------------------
Devido ao formato, os vermes nematódeos são conhecidos também como vermes redondos. Existem os de ação gastrintestinal e os de ação pulmonar. Para maiores detalhes veja resumos de Nematódeos Gastrointestinais e Nematódeos Pulmonares.


Verminose 
--------------------------------------------------------------------------------

Relacionado às verminoses podemos listar 3 classes bem distintas: os nematódeos (vermes redondos gastrintestinais e pulmonares), cestódeos (vermes chatos alongados e em forma de fita- tênias), e os trematódeos (vermes chatos curtos e em forma de folha).

SAIBA MAIS:

 

  • CÃES    F:55 011 9386 8744 
  • GATOS F:55 011 8485 4545
  • GERAL  F:55 011 4684 1047

 

PETCLUBE

Amichettibullys & AMICAT´S Bengal Maine Coon Ragdoll Exótico

Villa Amichetti- Paraíso Ecológico- uma forma sustentável de ConViver.

Rod. Régis Bittencourt, km 334, apenas 40 min. de SP-Juquitiba .

Agende uma agradável visita para adquirir seu filhote e faça belo passeio no santuário ecológico com a  Mata Atlântica  preservada.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar