Filhotes de cães e gatos - Canil e Gatil

Bulldogue Campeiro Bully

BULLDOG Bully Old English Bulldog Filhotes Venda Comprar

 Petclube Sustentável: Orienta Criação com amor dos animais domésticos para companhia Facilitando a Preservação da Mata Atlântica com incremento no Lençol Freático e mitigação do Aquecimento Global.

Bulldog Bully Olde Bulldogge Compacto Musculoso Cabeça Pesada

CONTATO COM PETCLUBE CAMP  info@petclube.com.br/ amichettibully@gmail.com

F 11 99386-8744 hc / 96393-1128


Cães Bulldog tipo Bully com biotipo bem mais carregado, cabeçorra e ossatura pesada, compactos e amigos
Bulldog tipo Bully é sinônimo de buldogue Parrudo, Amigo de Crianças, vivem bem Indoor, Guardião Equilibrado e Saudável 
Bullies Petclube bulldog são cães impressionantes, massa compacta de musculosos, super saudáveis, se acomodam bem em centros metropolitanos seja num apartamento como em casas.
Está foi uma escolha bem acertada doS Criadores Modernos de Bulldog , escolhendo padreadores e matrizes com um biotipo mais moderno, bastante valorizado por criadores e amantes do Universo Bulldog.

 

Criador de Bulldog descendente direto do Olde English Bulldogge trazidos nas primeiras imigrações  de europeus ao Brasil, destaque no google e facebook:
oldemuzzarella1
Agende sua visita para comprar filhotes e conhecer buldogs bem parrudos pelo fone 11 99386 8744 hc / 4684 1047 hc 
Conheça pessoalmente os cães bulldog tipo bully mais parrudos, mais fortes e companheiros fiéis.
Nossos bulldogs possuem cabeças tipo bola de basquete e orelhas pequenas e bem inseridas, também possuem massa muscular mais saliente  e podem viver bem indoor, esclarecem os criadores do Moderno Canil Amichetti.
Mas também temos cães tradicionais trazidos dos rincões de nosso grande Brasil, explica o cinófilo Claudio Amichetti.

 

Bulldog Bully: Nova tendência na cinofilia dos grandes centros urbanos
Com a atitude positiva o bulldog bully type teve toda a atenção dos antigos proprietários de pitbull, boxer, rottweiller, bulldog ingês, labrador e staffordshire bull terrier  
Os bulldogs Amichetti podem viver em apartamentos e são grandes companheiros para passeios em parques se comportando muito bem com outros cães e brincando com crianças.
 
 
Buldogue Petclube camp: Excelente Guardião e Bom Amigo, adora crianças, vivem bem em apartamentos.

 

 
Vantagens do Buldogue bully:
 
_Possuem cabeças avantajadas e bastante expressivas, corpo compacto e muito musculoso.
 
_Buldogue rústico, lindo, forte se adapta bem no campo como num apartamento devido sua personalidade equilibrada e tranqüila. Amante da família .
_São mais compactos e ficam bem indoor, se adequando bem a apartamentos e casas.
_Amoroso com crianças com quem criam forte vínculo de amizade.
_Não apresenta dificuldade para cruzamento ou parto como é comum nos demais bulldogs.
_Excelente guardião, super equilibrado um cão sempre amigo da família e amigos
_Talentoso na lida com o gado além de apresentar forte presença intimidatória, bastando sua marcante presença para que seu território esteja defendido.
Existem algumas variações do campeiro, os proprietários de centros metropolitanos como Rio de Janeiro e São Paulo tem preferido o tipo mais parrudo como conta o criador Claudio do Canil Amichetti:
"O biotipo mais parrudo e compacto é uma preferência no sentido de cão de intimidação, cabem bem numa residência e num apartamento, cria uma sensação impactante, seria uma versão parruda de Olde English Bulldogge".
O público encontrou no Bulldogue Red Nose  um exemplar rústico, forte, amigo e tem se encantado com os cães em nosso sítio."
Muitos apaixonados pelo pitbull mais forte tem visto nos bulldogs brasileiros uma nova opção para companhia já que não sofrem com as restrições impostas pela Lei, são cães super brincalhões, aceitam melhor outros cães e também são atraentes pelo público dos "fortões" explica Camila, veterinária que se apaixonou pela robustez e rusticidade dos cães do canil Amichetti.

Origem do Antigo Bulldog :
O buldogue (inglês: English Bulldog, onde bull significa "touro" e dog, "cão"), é uma raça oriunda da Inglaterra (Wikipédia).
 
 
O Buldogue Campeiro tem sua origem nos Bulldogs que vieram para o Brasil trazidos pelos imigrantes europeus desde o século XVII.
O Buldogue Campeiro tem como seu ancestral o Bulldog Inglês do tipo antigo conhecido como Old English Bulldog, aliás podemos observar várias pinturas antigas do século XV que comprovam a semelhança e identidade comum.
O Antigo Buldogue Inglês, ou Olde English Bulldogge, cão de guarda e trabalho que sobreviveu até o início do Século XX, possui uma enorme legião de admiradores em todo o mundo, graças a sua rusticidade, agilidade e funcionalidade.
Tais características, hoje perdidas no Moderno Buldogue Inglês, são os ingredientes principais das diversas tentativas de resgate deste antigo molosso por cinófilos Europeus e Americanos.
Vale a pena destacar o Buldogue Americano, o Olde English Bulldogge, o Olde Victorian Bulldogge, o Original English Bulldogge, o Alapaha Blueblood Bulldog, dentre outros.
 
 
Por volta do século XIV o Bulldog era um Tipo não uma raça
 No berço de criação europeu os cães ‘bulldog’ eram um biotipo, e não uma raça.
Diferentes cachorros do tipo ‘bulldog’ foram cruzados na Inglaterra, Espanha, Grã Bretanha, Itália, Alemanha e França, procurando cães combatentes e sanguinários foram usados como cães como o Dogue Malorquin, Olde Bulldogge (Grã-Bretanha) e os famosos cães dos açougueiros da Alemanha e Polônia.
O Old English Bulldog certamente participou na formação do Buldogue Campeiro em suas cepas mais antigas.
Aalis a quem defenda ser o Buldogue Campeiro ou Buldogue bully o legítimo Olde English Bulldogge.
Afirmam que as linhas mais parrudas que se encontra prlo sertão brasileiro são cepas nativas trazidas por europeus imigrantes do início do século passado.
Devido as difrentes linhas de bulldogs envolvidos tivemos o máximo de bravura, resistência e força dando a fama e ainda hoje perdura na alma das pessoas.
 

Comentários  de quem viu o buldog no trabalho

 

Nos conta o criador de cães Claudio Amichetti: Quando trabalhava nas fazendas na região de Tangará da Serra e Diamantino-MT, na década de noventa, pude observar vários bulldogs pretos, com caninos muito grandes e comissura labial bem desenvolvida, lidavam bem com o gado, eram valentes, acompanhavam e cuidavam das crianças em suas travessuras. Excelente temperamento tendo como destaque a característica do físico avantajado, parrudo e índole amiga e confiável com as crianças.

BULLDOG CAMPEIRO

 
 
Onde Comprar Filhotes de Bulldog Antigo Olde English Bulldogge ?

 

 

Ligue no Canil e Criador Petclube Bulldog Camp- SP, que possui lindos exemplares de Bulldog para venda, fortes, rústicos, equilibrados, agende sua visita para comprar filhotes e conhecer buldogs bem parrudos pelo fone 11 9386 8744 hc 4684 1047 hc- SP.

 
 
YOUTUBE SOBRE BULDOGUE Brasileiro e Olde Bulldogge REd Nose & Blue Nose 
filhotes a venda chocolate e branco Raríssimos no Brasil
 
6rhx_rIjL8Q Pwgt7PdE_jg RoHcarwvq7o _iv5gwivun4 2BbRzdw1rh0 Jk1ptToVh4s
 

 

 

 
 
Qual o preço de filhotes do bulldog bully?
 
Varia muito, dependendo do criador e linha de sangue com padrão moderno ou um tipo comum com pouca seletividade.
Geralmente, os filhotes são mais caros, embora muito mais impressionantes nos criadores de grandes centros urbanos pois tem mais acesso as novas linhas de sangue e possuirem um plantel mais moderno, baseado no padrão de super buldog´s mais compactos, fortes e com tipicidade aparente, como fala o criador Claudio do Canil Amichetti, "nossos cães são todos parrudos e mais compactos".
Em Sao Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre,Curitiba, Brasilia, Salvador, Campinas, Osasco, Recife, Fortaleza, Ribeirao Preto, Goiania,Santo Andre, Florianopolis, Apucarana, Santos, Cuiaba, Sao Jose Dos Campos, Vitoria, Campo Grande, Sorocaba, Vila Velha, Natal, Sao Vicente o preço dos filhotes de cães de estimação,  variam de r$ 3.500,00-9.800,00.
Animais para procriação, inteiros, atendendo a força da Lei, só podem ser comercializados para criadores devidamente inscritos na-Federação Cinológica e possuem um valor mais elevado.
Petclube  BULLDOG´S SINÔNIMO DE CÃES PARRUDOS E AMIGOS

Por favor agende sua visita em horário comercial pelos telefones:        wthasapp     11 993868744 hc  Petclube Sustentável: Orienta Criação com amor dos animais domésticos para companhia Facilitando a Preservação da Mata Atlântica com incremento no Lençol Freático e mitigação do Aquecimento Global.

Juquitiba Sao Paulo Brasil"A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados."  (Mahatma Gandhi)

Agende uma agradável visita para adquirir seu filhote e faça belo passeio no santuário ecológico com a  Mata Atlântica  preservada.

 

Qual o preço de filhotes do bulldog campeiro, francês e inglês?

Qual o preço de filhotes do bulldog campeiro e do bulldog inglês?
Varia muito, dependendo do criador e linha de sangue com padrão moderno ou um tipo comum com pouca seletividade. Geralmente, os filhotes são mais caros, embora muito mais atraentes nos criadores de grandes centros urbanos pois tem mais acesso as novas linhas de sangue e possuirem um plantel mais moderno, baseado no padrão de super buldog´s mais compactos, fortes e com tipicidade aparente, como fala o criador Claudio do Canil Amichetti, "nossos cães são todos parrudos". Em Sao Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre,Curitiba, Brasilia, Salvador, Campinas, Osasco, Recife, Fortaleza, Ribeirao Preto, Goiania,Santo Andre, Florianopolis, Apucarana, Santos, Cuiaba, Sao oldebulldoggeJose Dos Campos, Vitoria, Campo Grande, Sorocaba, Vila Velha, Natal, Sao Vicente o preço dos filhotes de cães de estimação,  variam de r$ 1500,00-5500,00 nos exemplares cinzas e chocolates e tan, tricolores e lilac, os bulldog ingles e francês tem valor mais elevado principalmente por causa das últimas importações que trouxeram filhos de campeões e o valor vai de r$2500-9000,00. Animais para procriação, inteiros, atendendo a força da Lei, só podem ser comercializados para criadores devidamente inscritos na -Federação Cinológica  e possuem um valor mais elevado.
AMICHETTI  BULLDOG´S SINÔNIMO DE CÃES PARRUDOS E AMIGOS
Padrão Oficial da Raça BULLDOG CAMPEIRO
Classificação CBKC: Grupo 11 - Raça não reconhecida pela FCI Padrão País de origem: Brasil
Nome no país de origem: Bulldog Campeiro Utilização: Pastoreio e guarda Prova de trabalho: Não regulamentada

Onde Comprar Filhotes de Buldogue Campeiro e Bulldog Inglês?
Ligue no Canil e Criador Amichetti de Juquitiba- SP, que possui lindos exemplares de Bulldog para venda, fortes, rústicos, equilibrados, agende sua visita para comprar filhotes e conhecer buldogs bem parrudos pelo fone 11 99386 8744 hc / 4684 1047- SP HC.

TV PETCLUBE CANIL AMICHETTI VÍDEO SOBRE BULDOGUE CAMPEIRO
 


Buldogue Campeiro Cão de Guarda Inigualável

 Raça Buldogue Campeiro.
A História do Bulldog:

OLDE BULLDOGGE

Para falarmos sobre o Buldogue Campeiro, devemos voltar no tempo e conhecermos a história do Cão Bulldog, o qual mais que uma raça representa um conceito e caracteriza um tempo. Tudo tem origem nos antigos cães de guerra britânicos. Estes cães foram produzidos em uma província romana no ano de 50 a.c. Eles além de serem usados na guerra eram também apreciados nas competições dos coliseus e em perseguição. Estes cães de luta Britânicos foram conhecidos como "Broad Mouthed Dogs". Há pouca dúvida que esses eram os antepassados originais e remotos de nossos Mastiffs e Bulldogs. Muitos desses cães foram enviados para Roma. Lá eles eram usados nos esportes dos "coliseus". Sendo ordenado a um oficial selecionar estes cães e os exportar para todo o Império Romano.
TV PETCLUBE CANIL AMICHETTI
VÍDEO SOBRE BULDOGUE CAMPEIRO
Pwgt7PdE_jg RoHcarwvq7o
 
Há evidências que da Itália a raça de cães de guerra se disseminaram sobre o continente, nos anos 50/410. No reinado Saxão da Inglaterra em 1066 era prática comum o treinamento de touros, ursos, cavalos e outros animais com a finalidade de lutar com cães. Henry II ganhou Bordeaux em sua união com o Eleanor de Aquitaine em 1151, e esta cidade permaneceu nas mãos dos ingleses até aproximadamente 1411, por aproximadamente 260 anos. Nesta época a luta de cães com touros e ursos era um esporte muito popular. De 1356 a 1367 o rei Edward III "pai de Edward o príncipe negro", proibiu os esportes de luta de cães com touros e ursos em Bordeaux. Em aproximadamente 1406 Edmond de Langley, duque de York, descreveu em sua obra o Alaunt ou Allen, um cão com uma grande e larga cabeça, e um focinho curto, que era notável pela sua coragem, e quando atacava um animal ele pendurava sobre este, sendo usado para luta com touros. Ele descreveu ainda o grande Alaunt francês que é um descendente do Alaunts inglês exportado para Bordeaux, e por sua vez o antepassado, sem nenhuma dúvida, do Dogue de Bordeaux. Em 1556 um grande número de Alaunts ingleses foram introduzidos na Espanha e nos consoles de Cuba e de Majorca por PhilipIL, com a finalidade das arenas. Em 1557 Dr. Caius, de Chambridge, descreveu o Mastyve ou Bulldog, indubitavelmente o descendente direto do Alaunt, como um cão vasto, cabeçudo, feio e impulsivo, com um corpo muito pesado, ideal para luta com touros. Durante o reinado de Mary, de Elizabeth, de James 1 e de Charles 1, que cobriram os anos de 1553 a 1649, a luta de touros e ursos com cães era um esporte muito popular. Relatos escritos por Hentzner, do reinado da rainha Elizabeth em 1598, indicaram que havia um lugar construído na forma de um teatro para lutas, e a existência do grande cão inglês, mostrando que este era ainda muito grande em 1598. Quase não há dúvida de que o cão de Burgos descrito em uma velha chapa de bronze espanhola, datada de 1625, era um descendente destes cães ingleses ou era ele mesmo um cão inglês importado, sendo um cão grande, pesado, com um crânio volumoso e um focinho profundo, visivelmente um "BULLDOG". Em 1632 uma carta escrita em St. Sebastion na Espanha, por um inglês chamado Prestwich Eaton a seu amigo George Wellingham em Londres, pedia que um bom cão "MASTIFF" e dois "BULLDOGS" lhe fossem emitidos. Sendo a prova definitiva que a exportação de cães da Inglaterra para a Espanha, que tinha começado há 75 anos antes com Philip II, ainda continuava, e da existência nesta época de cães conhecidos como Bulldog. Muitos anos mais tarde no ano de 1840, o Sr. Bill George importou da Espanha um grande BULLDOG, que foi chamado de Billy, em 1868 o Sr. Marquart trouxe Bonnhomme e Lisbon, e no ano de 1873 o Sr. Frank Adcock adquiriu Toro e Alphonse em Madrid. Todos estes cinco foram denominados Bulldogs espanhóis, e eram exatamente do tipo descrito na chapa de 1625. Enquanto o padrão do Dogue de Bordeaux tinha em média 120 libras de peso ( 54kg ), 25 e ½ polegadas ( 65cm )de altura, 26 e 1/2 polegadas ( 67cm )de circunferência do crânio, e 3 polegadas ( 7cm ) no comprimento da cara. Com os olhos claros na maioria dos casos e narizes vermelhos, representando o Alaunt inglês como o cão na Inglaterra e Bordeaux nos anos 1151/1411. O Bulldog espanhol, na média tinha somente 90 libras (40,5kg) de peso, 2 e 1/2 polegadas ( 6cm )de comprimento da cara, e que teve os olhos escuros e um nariz e uma máscara pretos, o qual representa o cão nos anos 1556/1649, quando o Bulldog começou a ser um cão diferente do Mastiff. O SURGIMENTO DO CÃO MENOR: O sistema novo de Bull-bull-baiting, como praticado em 1686 favoreceu um cão ativo e de tamanho moderadamente mais baixo. O grande Bulldog de 90 libras (40,5kg) que tinha estado em voga quando touro-bull-baiting era o esporte dos reis, não era mais tão querido. Muito pode acontecer mudando uma raça de cão em cinqüenta anos, pelo inbreeding com uma finalidade fixa em mente. Entre os anos de 1686 e 1735, um cão de tipo definido e de um peso médio de 50 a 60 libras (22,5 a 27kg), foi produzido. O cão de 1735, era menor no crânio do que o Bulldog de hoje, mais longo na cara, mais elevado no ombro, não era assim tão largo na parte dianteira. O Bulldog que foi evoluindo gradualmente nos anos 1686/1735, embora mais leve 40% do que seus antepassados era não somente o cão, mas a criatura mais brava na terra. O cão que foi produzido nos anos 1686/1735, era um cão para o touro, e foi durante aqueles anos, que o Bulldog foi ensinado e treinado a agarrar o touro pelo nariz e para nunca o atacar em outro lugar. Foi assim que em 1710 este método de ataque transformou-se numa tendência herdada e hoje uniforme, embora o touro-bull-bating tenha sido abolido há quase 170 anos, ao redor 1835.A LUTA DE CÃES:
De 1735 a 1835 o Bulldog foi mantido nas mesmas linhas sem nenhuma alteração no tipo. Em 1835 a prática cruel de Bull-bull-baiting foi proibida pela lei e a ocupação verdadeira do Bulldog desapareceu. Provavelmente teria morrido se não fosse outro esporte bárbaro chamado de luta de cães. A luta de cães começou aproximadamente em 1690, no reino de James II. Burnette em seu "History of My Own Times" escrito em aproximadamente 1700, estuda o cão que luta e os locais onde estas cenas foram decretadas. Por 100 anos o Bulldog era o único cão usado neste esporte cruel, mas no ano de 1800 os amantes do jogo procuraram produzir um cão mais rápido na luta. Neste tempo havia muitos Terriers ingleses, lisos com colorações variadas, mas todos espertos, ativos e alertas. Excelentes para matança de ratos ou caça a raposa. Os tipos maiores destes Terriers foram cruzados com o Bulldog e o produto era um cão que combinava todo o traço e velocidade do terrier com a coragem indominável e instinto de luta do Bulldog. Estes cães foram conhecidos como Bull Terriers. Nos anos de 1800 e 1835, quando a notoriedade da luta floresceu, é indubitável que este cão estivesse espalhado livremente pelas arenas de luta. E é provável que um determinado número de Bulldogs puros estivessem lutando nas arenas até ao menos o ano de 1840. A luta de cães, assim como a com o touro e o urso, foi proibida em 1835, mas continuou a ser praticada secretamente de uma maneira extensiva até aproximadamente 1880, mais especialmente em Londres, em Birmingham, em Liverpool e em diversas cidades no país, notávelmente Walsall. De 1840 até aproximadamente 1855 muitos cães foram usados nas arenas, mas comparativamente o principal foi o Bull Terrier. Em aproximadamente 1855 James Hinks, de Birmingham, produziu o primeiro Bull terrier branco moderno, que foi obtido do cruzamento do Bulldog e o Terrier com o Terrier inglês branco refinado e gracioso. Após policiamentos e a supervisão em 1880 as lutas tornaram-se muito mais restritas, foram realizadas lutas secretas em cidades diferentes, em um grande número de ocasiões entre 1880 e 1899. BULLDOGS UM SÉCULO ATRÁS:
A partir do ano de 1835, quando a luta do cão com o touro, urso e com outro cão foi proibida pela lei. O Bulldog passou a ser associado então aos selvagens e vagabundos e condenados pela alta classe. Por cinco anos, o Bulldog provavelmente foi mantido somente pelo fato, que teve ainda alguns admiradores que o usaram como um cão de luta. Mas por volta de 1840 havia provavelmente menos Bulldogs na Inglaterra do que em todo o período durante a existência da raça. O tamanho dos Bulldogs nesse tempo era de 45 a 50 libras ( 20 a 22,5kg ). No mesmo tempo havia ainda um determinado número de cães maiores, que pesavam até 65 libras (29,5kg) e estes eram os remanescentes dos dias em que os Bulldogs eram cães de 90 libras (40,5kg). Estes remanescentes do antigo tipo estavam na maior parte nas mãos de um ou duas pessoas, notavelmente Bill George, que em 1838 tinha sucedido o Ben White com um grupo de cães de luta, que mais pareciam um tipo de Mastiff, do que o novo, pequeno e popular cão. Por volta de 1840 para sorte do Bulldog, o interesse nos cães começou a aumentar, por aqueles quem produziam cães com cuidado e como objetivo de mostras, aonde seus cães desfilavam nos assoalhos lixados de quartos e havia geralmente o fornecimento de prêmios. Os amantes destes cães pequenos, entre eles o rei Charles, cruzaram algumas de suas cadelas menores feitas sob medida de Bulldog com cães Pug, a fim de reduzir o tamanho da progênie e produzir também a cor do emut da jovem corça que foi muito admirada. O peso médio do cão de Pug daqueles dias era 20 libras (9kg). Cruzando as duas raças em uma década de anos, Bulldogs de baixo peso foram formados, cães entre 12 e 20 libras ( 5,5 e 9kg ), o que era o desejo destes criadores, produzindo como atrativo um animal de estimação que não custava mais que um brinquedo espanhol e para o qual tinham pronta uma venda. Não há nenhuma dúvida que este cruzamento com o Pug teve grande contribuição para este novo cão. É duvidosa a reação provocada por estes cruzamentos sobre a coragem dos Bulldogs produzidos, se esta teria se mantido ou diminuído. Em 1859 foi o começo da era das mostras de cães, o que criou imediatamente um incentivo para produzir Bulldogs para finalidades de mostra. A INVASÃO ESPANHOLA:
Nos anos 1868 a 1873 a importação de bulldogs espanhóis por Sr. Marquart e Sr. Frank Adcock, aumentaram o número e provavelmente também o tamanho dos Bulldogs, embora somente quatro ou cinco kennels usaram estes Bulldogs importados nos cruzamentos. Esta importação ajudou extremamente os criadores que queriam um cão de mais 50 libras (22,5kg ). O cão de 1933 é conseqüentemente o resultado do intercruzamento dos três tipos distintos que existiram em 1859. O cão de grande tamanho foi sendo aumentado nos números, cruzando-se com os Bulldogs espanhóis importados nos anos de 1870 e possivelmente aumentado mais pelo cruzamento de Mastiffs em escala nos anos de 1890. Portanto o Bulldog inglês, o Mastiff inglês, o Dogue de Bordeaux, o Bulldog espanhol e outras raças mais recentes tiveram sua origem no Alaunt inglês. A História do Buldogue Campeiro:
A raça se formou a partir dos bulldogs trazidos pelos primeiros imigrantes Europeus, principalmente aqueles com o tipo do animal formado de 1686 - 1835, ou seja, o bulldog do bullbaiting, para trabalhar nas fazendas do Sul do Brasil, pois na época estes eram os mais famosos e temidos cães do mundo, na luta contra Touros.
Muitos destes animais conservaram as mesmas características originais por vários anos, mas então começaram a sofrer a seleção na lida para formar um Tipo de Bulldog já um pouco diferente tanto em fenótipo como em temperamento e aptidão para o trabalho exigido, daqueles primeiros Bulldogs dos Bullbaiting trazidos pelos imigrantes, estes Bulldogs selecionados na lida com o boi em terras brasileiras, passaram a ser conhecidos como “Bordoga” adaptação do nome Bulldog ao dialeto dos povos colonizadores da região, este cão “Bordoga” com o tempo foi se distanciando dos primeiros Bulldogs, tanto em fenótipo quanto em temperamento e aptidão no trabalho de subjugar o boi bravo, os primeiros Bulldogs trazidos pelos imigrantes estavam acostumados a se agarrar e ficar pendurados ao fuço do boi sem largar, e tinham um porte mais leve, não tendo muito jeito, força e porte para subjugar um boi bravo o mais rápido possível, sendo assim teve que ser trabalhado e adaptado as novas exigências que o novo trabalho lhe exigia, que era de subjugar um boi bravo no menor tempo possível, causando-lhe o mínimo de ferimentos e estresse.
A trânsformação do "Bulldog Inglês antigo" em “Bordoga”:
O “Bordoga” tem sua origem nos Bulldogs que vieram para o Brasil trazidos pelos imigrantes Europeus desde o século XVII. Devido á criação de gado ser sempre forte na região Sul, os “Bordogas” eram bastante usados para capturar o gado selvagem que se criava em meio a um ambiente hostil de campo e mata nativa. Participou de grandes tropeadas sempre capturando o boi fujão. Nos matadouros, tinha participação ativa, solicitados para segurar um boi bravo sempre que fosse necessário. Os “Bordogas” para o trabalho tiveram uma seleção quase natural, uma vez que os que eram muito baixos, levavam desvantagens em percorrer longas distâncias e em poder tracionar segurando o boi. E os que através do cruzamento com outra raça, ficavam muito altos e perdiam o instinto de pegador, a precisão de movimentos, além de ficarem vulneráveis às investidas dos bois com seus coices e chifradas. O resultado desta seleção é o cão que ficou conhecido durante muito tempo em algumas regiões do grande estado do Rio Grande do Sul, principalmente nas regiões onde era forte a criação de gado de corte, e onde se concentravam o maior numero de matadouros, como “Bordoga”.
Filhotes de Bulldog Campeiro em Vídeo

Bulldog

Padrão da Raça Buldogue Campeiro.
CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA

Padrão Oficial da Raça BULLDOG CAMPEIRO

Classificação CBKC: Grupo 11 - Raça não reconhecida pela FCI

Padrão CBKC NR 8

País de origem: Brasil 
Nome no país de origem: Bulldog Campeiro 
Utilização: Pastoreio e guarda 
Prova de trabalho: Não regulamentada

Sergio Meira Lopes de Castro - Presidente da CBKC Paulo José Ramos de Azevedo - Presidente do Conselho Cinotécnico Colaborador: Ralf Schein Bender.


APARÊNCIA GERAL: cão de constituição potente e larga, indicando força e agilidade. 

UTILIZAÇÃO: eram usados para capturar o gado selvagem, participando de tropeadas, sempre capturando o boi fujão. Participavam nos matadouros, sempre segurando o boi bravo quando necessário. São cães de grande versatilidade possuindo características de guardião e de combatente bastante equilibradas. São cães selecionados na lida "paus para toda a obra", guardando a casa do tropeiro como também a carreta e o seu cavalo, onde jamais alguém chegava se houvesse um Bulldog deitado observando. Além disso, ainda servem de pastor e para derrubar um boi desgarrado. Conviviam em matilhas, respeitando a vontade de seus donos, que era de que não brigassem entre si. 

TEMPERAMENTO: É um cão extremamente versátil, com características de guardião e combatente. Destaca-se pela fidelidade ao dono, ama as pessoas que fazem parte do seu dia-a-dia e tem extrema coragem. Um cão de fácil adaptação; late pouco, é tranqüilo, desconfiado e ciumento. Seu temperamento é de vigilante tranqüilo, com acentuado espírito de luta e companheirismo. De fácil convívio com as crianças (nunca se soube de um Bulldog Campeiro que tivesse mordido uma criança). Aceita totalmente o controle do dono ao qual é submisso e fiel como uma sombra. 

CABEÇA: larga, com fortes maxilares.Crânio: bastante largo e alto.Focinho: curto e largo com aproximadamente 1/3 do comprimento do crânio. Não curto como o atual Bulldog Inglês, nem tão comprido como o Bullmastif.Orelhas: pequenas, pendentes, ou viradas para trás, implantadas no alto. 

OLHOS: ovalados. O mais escuros possível. 

LÁBIOS: um pouco pendentes, com bochechas arredondadas. 

MAXILARES: mordedura forte com acentuado prognatismo. 

PESCOÇO: de comprimento moderado e muito forte. 

MEMBROS ANTERIORES:Ombros: largos, musculosos e oblíquos.Aprumos: membros vigorosos, antebraço bem desenvolvido e de linha levemente inclinada, de ossos fortes e retos. Patas: levemente viradas para fora. 

MEMBROS POSTERIORES: musculosos; coxas bem desenvolvidas, que indicam vigor e atividade. Jarretes: moderadamente angulados. 

CORPO: Membros: Vigorosos.Dorso: moderadamente curto, com linha ascendente até a garupa.Peito: amplo, de espessura notável.Costelas: bem arqueadas. Antebraços: bem desenvolvidos e de linha levemente inclinada de ossos fortes e retos.Patas: levemente viradas para fora. 

CAUDA: normalmente o Bulldog Campeiro já nasce com a cauda mais curta e torta; mas, visto que, alguns bons exemplares ainda nascem com a cauda longa, que ultrapassa a altura do jarrete, essa deve ser amputada. PELAGEM: lisa, de textura média (nem muito macio nem muito duro). Pêlo curto. Todas as cores são permitidas. A predominância é do dourado ou tigrado, sólido ou com branco.

TALHE: Altura: a altura ideal é de: 48 cm a 58 cm. 

PESO: de 35 Kg a 45 Kg aproximadamente. 

FALTAS: qualquer desvio dos Termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade. 

OBSERVAÇÕES: O Bulldog Campeiro é um cão extremamente rústico que não apresenta problemas de saúde comuns do Bulldog Inglês.O Bulldog Inglês e o Bulldog Campeiro são duas raças com funções distintas. O Inglês tem uma aparência maravilhosa, é um cão de companhia e ótimo para apartamento. O Campeiro é um cão para guarda e trabalho. 

NOTA: os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.
Criadores de cães da raça Bulldog Campeiro em São Paulo:
Canil Amichetti F 11 9386 8744 
BULLDOG SERRANO 
O buldogue serrano é uma raça de cão brasileira, apto para a guarda e em especial para o trabalho com o gado, já é reconhecida pela Confederação Brasileira de Cinofilia, e agora busca reconhecimento internacional junto à FCI.
A história desta raça confunde-se com a história da raça bulldog campeiro, uns acreditam que o buldogue serrano é apenas uma variação da raça bulldog campeiro, outros acreditam que o processo de registro desta raça foi feito por criadores de bulldog campeiro que tinham linhagens de cães mais leves do que o ideal para o padrão oficial da raça bulldog campeiro, e por isso desejaram criar uma nova raça com um padrão mais condizente com as características de seus cães.
Por outro lado, a versão oficial e aceita pela Confederação Brasileira de Cinofilia, diz que o buldogue serrano sempre foi, apesar de ter ancestrais em comum com o bulldog campeiro, uma outra raça, que teria se originado de cães do tipo buldogue, trazidos por imigrantes europeus ao sul do Brasil a partir do século XIX, vários povos, incentivados pelo governo brasileiro, imigraram para o Brasil. No sul do brasil em maioria foram alemães, italianos e poloneses, estes imigrantes teriam trago consigo cães do tipo buldogue, que nesta época eram muito comuns na Europa, alemães e poloneses teriam trago o Bullenbeisser e os italianos o buldogue maltês e o antigo buldogue inglês, raça já extinta, muito diferente do atual buldogue inglês e muito comum em toda a Europa ocidental neste período, também acredita-se que o buldogue espanhol e o alano tragos à América espanhola, teriam facilmente atravessado a fronteira com o Brasil acompanhando tropas na época das guerras Guaranítica, e da Tríplice Aliança, e posteriormente auxiliando peões a tocar o gado entre as fronteiras. Desta forma acredita-se que estas raças espanholas também teriam contribuído na criação do buldogue serrano. Todos estes cães já em solo brasileiro, teriam sido selecionados na lida diária das fazendas de gado da região, e com acasalamentos selecionados pelos peões, buscando os cães mais aptos ao trabalho de subjugar gado, teriam criado duas novas raças, os bulldogs campeiros (mais pesados), mais comuns nos campos do Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, e nos campos do Rio Grande do Sul próximos as fronteiras com Argentina e Uruguai e também na região das missões, e os buldogues serranos (mais leves), mais comuns nas encostas das serras e nas serras gaúchas.
Os melhores cães para o trabalho de submeter bois e porcos eram os mais apreciados, e também aqueles que sabiam guardar a carroça e o cavalo do tropeiro enquanto este descansava, sendo os cães leves ou pesados, o que importava era sua aptidão para o trabalho. Os mais leves, também pastoreavam reunindo o gado, trabalhando de maneira mais ostensiva, auxiliando os peões a levar a seu destino as comitivas de gado, os mais pesados também acompanhavam as comitivas, mas nestas ocasiões acompanhavam o peão que ia atrás da comitiva, aguardando o comando de retirar um boi bravo da mata densa quando fosse necessário.
Estes cães, pesados ou leves (campeiros ou serranos) também foram muito utilizados em antigos abatedouros da região sul e da região onde hoje é o Estado do Mato Grosso do Sul, nestes estabelecimentos, foram utilizados para subjugar gado e porcos no momento do abate, onde muito comumente arrastavam porcos pelas orelhas e subjugavam sozinhos bois de até 400 Kg, porém com o desenvolvimento destas atividades, medidas da vigilância sanitária impediram o uso de cães nestes estabelecimentos, e com o também desenvolvimento da pecuária, estes cães tiveram seu uso cada vez menor, e com isto chegaram a quase extinção.
No final da década de 70, este cão estava em via de extinção, então o cinófilo Ralf Schein Bender começou um trabalho de resgate destes cães, que veio a ser concretizado em 2001 quando a CBKC passou a reconhecer a raça buldogue campeiro, porém alguns criadores insatisfeitos com o privilégio dado ao tipo pesado (tipo leve não existe no padrão) pelo padrão oficial da raça buldogue campeiro, resolveram em abril de 2009 interceder junto à CBKC solicitando o reconhecimento do tipo mais leve (serrano), porque corria o risco de desaparecer devido a clara preferência pelo tipo mais pesado no padrão do buldogue campeiro. A CBKC reconheceu a necessidade de se reconhecer o buldogue serrano como uma raça separada e oficializou seu reconhecimento em agosto de 2009. Os criadores que encabeçaram o trabalho de reconhecimento do buldogue serrano foram o cinófilo Pedro Pessoa Ribeiro Dantas que redigiu o padrão oficial enviado para apreciação da CBKC, e o jornalista e criador de cães Ivanor Olivieki que enviou fotos da raça à CBKC para acelerar o processo de reconhecimento.
Fonte wikipédia

    Por favor agende sua visita em horário comercial pelos telefones:             11 8485 4545       hc (gatos) e             11 9386 8744       hc (cães), e escolha seu filhote das raças:

    American Bully OverbullyAmerican Stafforshire TerrierBull TerrierBulldog AmericanoBulldog CampeiroBulldog FrancêsBulldog InglêsChihuahuaPitbull ModernoPugSpitz Lulu da PomerâniaStaffordshire Bull TerrierRhodesian RidgebackBengal Amicat'sExóticos de Pêlo CurtoMaine Coon Amicat'sRagdoll Amicat's

    Canil Amichetti Bullys & Gatil AMICAT´S Bengal Maine Coon Ragdoll Exótico
    Juquitiba Sao Paulo Brasil

    "A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados."  (Mahatma Gandhi)

    EcoVilla Amichetti- Paraíso Ecológico- uma forma sustentável de ConViver.

    Rod. Régis Bittencourt, km 334, apenas 40 min. de SP-Juquitiba .

    Agende uma agradável visita para adquirir seu filhote e faça belo passeio no santuário ecológico com a  Mata Atlântica  preservada.